Auditoria no Brasil constata que 17% do gado comprado pela JBS veio de fazendas ‘irregulares’

SÃO PAULO (Reuters) – Quase 17% do gado comprado pela JBS SA no estado do Pará, na floresta amazônica, supostamente veio de fazendas com “irregularidades”, como desmatamento ilegal, de acordo com uma auditoria de procuradores federais divulgada nesta quinta-feira.

FOTO DO ARQUIVO: Logotipo do frigorífico brasileiro JBS SA é visto na cidade de Jundiaí, 1º de junho de 2017. REUTERS/Paulo Whitaker

A auditoria, que examinou as compras de gado entre julho de 2019 e junho de 2020, disse que o maior frigorífico do mundo supostamente comprou cerca de 93.734 cabeças de fazendeiros irregulares.

Ao todo, a auditoria constatou 136.172 compras irregulares de gado pela JBS e outros frigoríficos não listados que atuam na região.

A JBS disse em comunicado que as compras foram feitas há mais de 2 anos, quando tinha critérios imprecisos para os pecuaristas, acrescentando que o problema foi corrigido posteriormente.

De acordo com a auditoria, o maior frigorífico do mundo supostamente comprou cerca de 93.734 cabeças de fazendeiros irregulares. A JBS foi responsável por cerca de 69% das 136.172 compras irregulares de gado de mais de 15 empresas que atuam na região.

Os resultados da auditoria alimentaram preocupações crescentes de que a JBS poderia estar contribuindo para a destruição da maior floresta tropical do mundo.

No ciclo de auditoria anterior, abrangendo o período entre janeiro de 2018 e junho de 2019, a JBS teria comprado cerca de 301.000 cabeças de gado de fazendeiros irregulares, disseram procuradores federais.

A criação de gado junto com o desmatamento para vender madeira ou cultivar plantações estão impulsionando o desmatamento na floresta amazônica.

Vários frigoríficos assinaram compromissos com promotores em 2013, concordando em não comprar gado de fazendas que foram desmatadas ilegalmente desde 2008 ou que foram colocadas na lista negra por crimes ambientais.

A JBS e mais de uma dúzia de outras grandes empresas agrícolas também se comprometeram a eliminar o desmatamento de suas cadeias de suprimentos até 2025, incluindo a destruição ligada a fornecedores indiretos que vendem para intermediários que depois vendem para frigoríficos.

A auditoria não encontrou irregularidades na compra de gado ligadas à Minerva, rival da JBS e a única outra empresa listada examinada.

Matheus