Emanuel diz que Cuiabá possui estrutura para receber o VLT e fica prejudicada com venda dos vagões

Emanuel diz que Cuiabá possui estrutura para receber o VLT e fica prejudicada com venda dos vagões

Prefeito citou viadutos e trincheiras ao criticar a venda dos vagões pelo governo do estado

Conteúdo/ODOC – O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, afirmou estar descontente com a venda dos vagões do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e classificou a ação como uma “traição” à população. Nesta semana o Governo do Estado anunciou o acordo entre com o Governo Bahia para venda dos vagões, no valor de R$ 793,7 milhões.

“Hoje é um dia melancólico para Cuiabá e Várzea Grande. Mesmo após a controversa mudança de modal, os cuiabanos mantinham a esperança na implantação do VLT. Agora, enquanto outras capitais avançam com projetos semelhantes, nós ficamos para trás. A venda dos vagões, que estão em perfeito estado, foi uma apunhalada pelas costas da população,” desabafou o prefeito.

Defensor da modernização do transporte na capital, Emanuel Pinheiro destacou que Cuiabá já possui infraestrutura adequada para o VLT, como viadutos e trincheiras. Ele ressaltou que os trens, sempre bem conservados, poderiam servir perfeitamente à cidade.

A decisão de vender os vagões ao governo da Bahia ocorreu sem discussão pública. “Por que os vagões servem para Salvador e não para Cuiabá?” questionou Pinheiro. A venda será realizada em suaves parcelas ao longo de quatro anos.

Desde janeiro, a Prefeitura de Cuiabá vem delineando o projeto técnico do VLT, que foi aceito pelo Novo PAC – Mobilidade Urbana Sustentável, do governo federal. O projeto conta com a colaboração de equipes técnicas da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana e da Prefeitura de Cuiabá.

O projeto do VLT previa 22 quilômetros de extensão, ligando Cuiabá a Várzea Grande pelos eixos Aeroporto-CPA e Porto-Coxipó, com capacidade para transportar mais de 100 mil pessoas por dia. Cada trem, composto por sete vagões, comporta 400 passageiros. O sistema, movido a tração elétrica, tem velocidade máxima de 70 km/h e é equipado com ar-condicionado, sistema de entretenimento, câmeras de vigilância e tecnologias de economia de energia.

Para o prefeito Emanuel Pinheiro, a venda dos vagões é um chamado à reflexão sobre a necessidade de melhorias significativas na infraestrutura da cidade. “Cuiabá merece o que há de melhor. O VLT é moderno, econômico e garante dignidade, segurança e qualidade de vida à população. Ele traz desenvolvimento econômico, social e urbano,” finalizou o prefeito.

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *