“Foi descoberto isso”; Nome do Palmeiras é citado em escândalo de manipulação de resultados

O futebol brasileiro amanheceu sob um clima tenso nesta terça-feira (18). Em ação do Ministério Público de Goiás (MPGO), quatro jogadores estão sendo investigados por suposta manipulação de resultados na Série A de 2022. No último ano, o mesmo escândalo já havia estourado na Segundo Divisão, resultando na denúncia de oito atletas. Desta vez, com a elite do esporte nacional sob suspeita, até mesmo o atual campeão do Brasileiro é citado no caso.

Isso porque Palmeiras aparece duas vezes nos seis jogos que estão sob análise na Operação Penalidade Máxima II, segundo a Rádio Itatiaia. O empate de 1 a 1 com o Cuiabá, em novembro, e a vitória de 2 a 1 com o Juventude, em setembro, fazem parte da lista de confrontos investigados pelo MP de Goiás. Nas oportunidades, os jogadores sob suspeita são o lateral Igor Cariús (ex-Cuiabá e atualmente no Sport-PE) e o meia Gabriel Tota (ex-Juventude e atualmente no Ypiranga-RS).

Mesmo sem nenhum profissional do Verdão diretamente investigado, um rosto conhecido da torcida também aparece entre os alvos das buscas realizada nesta terça-feira (18). Segundo apuração do Globo Esporte, Victor Ramos, zagueiro que defendeu o Palmeiras em 2015, é um dos supostos envolvidos no escândalo. O time palestrino é visto a princípio como uma vítima das possíveis manipulações, o que não deve alterar os resultados das partidas.

Em comunicado emitido pela CBF, a ação do MP de Goiás tem a cooperação da entidade. Por meio de nota enviada à veículos de imprensa, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deixou claro que “apoia toda e qualquer ação legal que traga transparência e lisura aos campeonatos que organiza e a todo o esporte brasileiro”. Além disso, a CBF fez questão de ressaltar que trabalha “no rastreamento e monitoramento de partidas” com o auxílio de uma empresa parceira da FIFA e da Conmebol.

Matheus