Lei de Botelho amplia divulgação do Teste do Pezinho em Mato Grosso

Lei de Botelho amplia divulgação do Teste do Pezinho em Mato Grosso

A Semana Estadual de Triagem Neonatal foi instituída pela Lei 12.584/2024, que chama atenção sobre importância do exame

Mato Grosso deu um passo significativo na conscientização da população sobre a importância do diagnóstico precoce de doenças detectáveis pelo Teste do Pezinho. Recentemente, foi sancionada a Lei 12.584/2024, de autoria do deputado Eduardo Botelho, presidente da Assembleia Legislativa do Estado. Esta lei estabelece a Semana Estadual de Triagem Neonatal – Teste do Pezinho, resultado de amplo debate com especialistas que atuam na saúde pública.

Objetivo é chamar a atenção por meio de campanhas educativas às necessidades de fazer o teste nos primeiros dias de vida do bebê. Proposta aclamada pelos profissionais de saúde, que participaram do 1º Encontro Mato-grossense de Triagem Neonatal – Teste Do Pezinho, realizado em junho desse ano, pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, em parceria com o Hospital Júlio Muller, na sede das Promotorias de Justiça de Cuiabá.

Mês de junho

Dessa forma, anualmente, a primeira semana de junho será dedicada a dar ênfase ao Teste do Pezinho, com ciclo de atividades e cursos para reforçar o compromisso com a causa nas Unidades Básicas de Saúde e escolas.

As despesas com a campanha de divulgação será conforme dotações orçamentárias próprias do governo estadual. “O Teste do Pezinho é fundamental no período de ouro da criança (da gestação até dois anos de idade). Por isso, queremos atingir 100% dessa população com a realização do Teste do Pezinho. A conscientização é o melhor caminho”, explica Botelho.

Diagnóstico precoce

Com a imersão no assunto, a população será alertada também sobre as sanções previstas ao descumprimento do exame pelo responsável do bebê, além de ampliar a cobertura e reduzir a coleta inadequada, garantindo aos pacientes diagnosticados: acesso ao tratamento.

Se depender da gestante Marciley Valquíria de Pinho, o Teste do Pezinho para o Kaleb, está garantido. Após 13 anos da primeira filha, está atenta aos cuidados necessários do segundo filho. “Já me informei na Unidade Básica da Família do Parque Ohara, tem que fazer esse exame três a cinco dias após o nascimento. É muito importante a campanha nas redes sociais e escolas, mostrará para muitas mães desinformadas a importância do exame. Importante lei essa do deputado”.

Nova lei é aplaudida

O projeto recebeu apoio do pediatra da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e coordenador do Serviço de Referência em Triagem Neonatal, do Hospital Universitário Júlio Muller, Marcial Francis Galera.
“Foi uma grande conquista para dar mais visibilidade à causa da triagem neonatal”, afirmou Galera. Ressaltou que a nova lei é fruto do trabalho em equipe, que fez a articulação ao deputado.

Há duas décadas o Hospital Júlio Muller é referência no assunto, realizando o diagnóstico das seguintes doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênita, doença falciforme e outras alterações de hemoglobina, deficiência de biotina, hiperplasia adrenal congênita, fibrose cística e a toxoplasmose congênita.

A professora Vera Lúcia Fernandes Aragão Tanus, pedagoga da Triagem Neonatal – Teste do Pezinho, também comemora a sanção da nova lei. Ela destaca que somente em janeiro desse ano, 3.682 crianças fizeram o exame. Em 2023, foram 44.930 recém-nascidos, ou seja, 314.510 exames foram feitos para a análise de sete doenças detectáveis com o Teste do Pezinho.

“Estamos celebrando a criação da lei. Muita gratidão por esse movimento e por esse olhar sensível do deputado para essa pauta, que vai reforçar a nossa luta pela ampliação do número de doenças que podem ser detectadas através do Teste do Pezinho”, concluiu Vera Tanus, ao acrescentar que um jingle foi criado para a campanha.

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *