Pré-candidata, Monnize Costa propõe criação de fundo municipal para microempreendedores em Diamantino

Pré-candidata, Monnize Costa propõe criação de fundo municipal para microempreendedores em Diamantino

Monnize Costa quer transformar a proposta em uma lei estadual

Conteúdo/ODOC – Pré-candidata a vereadora nas eleições de outubro próximo em Diamantino, a médica Monnize da Costa Dias Zangeroli (União), já fez gestões com o pré-candidato do partido a prefeito da cidade, Francisco Ferreira Mendes (União), e com os deputados Eduardo Botelho e Max Russi, para garantir no plano de governo a criação do Diamantino Fomento ou Desenvolve Diamantino. Monnize Costa quer transformar a proposta em uma lei estadual.

“Protocolei em Cuiabá, na Desenvolve MT, um projeto de propostas para o microempreendedor, em especial para a cidade de Diamantino, um projeto que acaba beneficiando o Estado inteiro. Protocolei na presidência da Assembleia Legislativa e na primeira secretaria da Casa de Leis. Quero contar com a ajuda para que isso se torne uma lei estadual para contemplar todo o Estado”, disse a médica.

A proposta da candidata é incluir no plano de governo do pré-candidato e em lei estadual a criação de uma espécie de banco municipal, através de um fundo criado por lei específica, voltado exclusivamente para micro e pequenos empreendedores, visando – segundo ela — estimular as atividades produtivas e iniciativas empreendedoras nos setores do comércio, indústria e serviços ou qualquer atividade geradora de trabalho, emprego e renda.

Conforme Monnize da Costa “o alcance social dessa medida será muito impactante nestes setores geralmente à margem do sistema de crédito, além de inclusão social e resgate da dignidade de muitos diamantinenses”.

Segundo a pré-candidata, a proposta consiste na criação de um fundo municipal a ser gerido pelo município ou terceirizar sua gestão para a Desenvolve MT, Cooperativas de crédito ou bancos com essa política de micro empreendedorismo no município.

“O fundo municipal terá regras próprias, podendo ser gerido por um responsável técnico nomeado pelo prefeito (ou terceirizado), verificando condições obvias de experiencia de crédito e através de parceria com a Desenvolve MT, cooperativas e bancos”.

A pré-candidata destaca ainda a necessidade de se fazer audiências públicas para discutir a proposta. “Debater em audiências públicas e mostrar com clareza para a sociedade a finalidade e alcance deste projeto social, despertará nos diamantinenses a sensação de que a gestão municipal é humanizada e não esqueceu de inseri-los no mercado de crédito e no contexto do seu desenvolvimento social, político, econômico e financeiro”.

Vídeo:

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *