Senado aprova projeto que torna campi da UFMT em Universidade Federal do Araguaia

Senado aprova projeto que torna campi da UFMT em Universidade Federal do Araguaia

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou nesta terça-feira (21) projeto que transforma o Campus Universitário do Araguaia, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Universidade Federal do Araguaia. O PL 2.223/2021, do senador Wellington Fagundes (PL-MT), recebeu parecer favorável do senador Wilder Morais (PL-GO).

Fagundes avaliou que há poucas universidades públicas em Mato Grosso e que há demanda, já que é um estado grande e em desenvolvimento econômico crescente. Também afirmou que a iniciativa dará maior autonomia à unidade de ensino, que atende a uma região específica com características próprias em relação aos demais campi da UFMT.

“A transformação trará inúmeros benefícios não só para a região do Araguaia (MT), mas também para os estados de Goiás e Tocantins, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico, qualificando a mão de obra local, atraindo investimentos e reduzindo a migração de jovens talentos para outros centros urbanos. Além disso, promoverá a inclusão social, democratizando o acesso ao ensino superior e reduzindo as desigualdades regionais”, ressaltou o senador.

Projeto é de autoria do senador Wellington Fagundes

Segundo o texto do projeto, a transformação não demandará acréscimos na estrutura física existente, e todo o corpo docente e funcionários poderão ser aproveitados, garantindo eficiência na gestão de recursos.  A iniciativa segue o exemplo positivo da criação da Universidade Federal de Rondonópolis, que, desde 2019, tem contribuído para a formação profissional e o desenvolvimento da região.

Na leitura do voto, o relator Wilder Morais acrescentou que a criação da Universidade Federal do Araguaia colabora para o cumprimento de diretrizes do Plano Nacional de Educação 2014-2024 voltadas ao ensino superior, que preveem a ampliação da oferta de vagas por meio da expansão e da interiorização da rede federal de educação superior.  “Promover a expansão qualificada da oferta educacional das universidades públicas é efetivamente uma demanda urgente, que pode trazer ganhos exponenciais não só para os próprios estudantes, mas também para as regiões em que forem instaladas”, afirmou.

Campus Universitário do Araguaia

Há mais de 40 anos, o Campus Universitário do Araguaia tem sido um pilar de educação e desenvolvimento para a região, ampliando o alcance da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Localizado nas cidades de Pontal do Araguaia e Barra do Garças, o campus é lar de mais de 2400 estudantes, 200 docentes e 70 servidores técnicos.

O campus oferece uma ampla variedade de cursos de graduação, com 16 opções disponíveis, além de programas de pós-graduação em Lato Sensu e mestrados. Todos os anos, o campus recebe centenas de novos alunos por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação, proporcionando oportunidades de ensino superior de qualidade para estudantes de todo o país.

Entre os cursos oferecidos no campus estão Agronomia, Ciência da Computação, Engenharia de Alimentos, Engenharia Civil, Física, Matemática, Química, Jornalismo, Direito, Geografia, Letras, Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem e Farmácia. O campus também oferece programas de pós-graduação, com pesquisas de mestrado em Imunologia e Parasitologia, Ciências de Materiais, além de mestrados profissionais em Matemática, Física, Enfermagem e Saúde da Família.

O Campus Universitário do Araguaia desempenha um papel fundamental na formação de profissionais qualificados e no desenvolvimento da região, contribuindo para o avanço da educação e da ciência no Brasil.

O projeto segue agora para votação na Câmara dos Deputados.

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *