União Brasil pede condenação de Abílio Brunini por ‘propaganda eleitoral negativa’

União Brasil pede condenação de Abílio Brunini por ‘propaganda eleitoral negativa’

Abílio já foi alvo de três outras ações semelhantes, resultando em R$ 90 mil em multas

Conteúdo/ODOC – O partido União Brasil, liderado pelo deputado estadual Eduardo Botelho, iniciou uma nova ação contra o deputado federal Abílio Brunini, acusando-o de propaganda eleitoral negativa antecipada. Segundo o União, Abílio já foi alvo de três outras ações semelhantes, resultando em multas totalizando R$ 90 mil.

O processo alega que Abílio utiliza suas redes sociais para disseminar informações distorcidas, imputando fatos falsos ou descontextualizando informações para difamar suas vítimas.

“E como dito, isso já foi palco de 03 Representações Eleitorais, todas contra condutas de Abilio Jacques Brunini Moumer utilizando suas redes sociais para publicação de agressões, ataques pessoais, desinformação e ataques a honra alheia. Apenas nessas representações, Abilio já acumula condenações ao pagamento de multas que somam inacreditáveis R$ 90.000,00”, diz trecho da decisão

Apesar das condenações anteriores, o União argumenta que Abílio continuou com sua conduta, publicando uma nova postagem em 5 de maio. Nessa publicação, ele teria tentado associar o eventual aumento na tarifa de ônibus de Cuiabá ao pré-candidato Eduardo Botelho.

O partido afirma que essa associação busca prejudicar a popularidade de Botelho e causar-lhe danos eleitorais, caracterizando campanha difamatória e propagação de fake news.

O União requer a condenação de Abílio ao pagamento da multa máxima prevista, levando em consideração a quantidade de visualizações, seguidores e a reincidência do deputado.

“É fato de que aumento da tarifa é assunto de grande polêmica e rejeição popular e, caso concretizada, afetará a grande maioria dos cidadãos cuiabanos, principalmente aqueles de mais baixa renda, evidenciando que a ilegal e mentirosa tentativa de vinculação do Dep. Eduardo Botelho ao referido fato visa atingir sua popularidade e causar-lhe prejuízos eleitorais, traduzindo-se em campanha difamatória e pedido de não voto, mediante propagação de Fake News”.

Agora, o processo aguarda decisão da Justiça Eleitoral para determinar as próximas medidas a serem tomadas neste embate político entre os pré-candidatos à prefeitura de Cuiabá.

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *