FUTEBOL DE CAMPO: Centenas de atletas lotam Teatro Zulmira Canavarros na abertura da Taça das Favelas 2023

Sandra Oliveira e Elias Neto |Assessoria CUFA-MT

Centenas de adolescentes, pais e lideranças das favelas de Mato Grosso participaram da cerimônia da abertura oficial da Taça das Favelas 2023, no Teatro Zulmira Canavarros, na noite de terça-feira (17/10), em Cuiabá. A competição já começa com as pessoas das favelas ocupando espaços de poder como o próprio palco do lançamento do evento.

“Isso é maravilhoso, né? Porque nós estamos dando grande visibilidade pra esses territórios, que muitas das vezes só passam no noticiário notícias não muito boas, como a violência e tudo mais. A Taça das Favelas vem pra mostrar o outro lado, que nesses territórios têm muita potência, muita gente sonhadora, batalhadora. Essa é a importância desse projeto”, destacou o presidente da Cufa/MT, Anderson Zanovello.

A presidente da Associação de Desenvolvimento das Favelas de Cuiabá, Débora Silva, também destaca que a competição é mais do que sobre ganhar ou perder, mas o fortalecimento das favelas.

“O líder da favela é fortalecido, é o garoto que vai viajar para fora pela primeira vez também. São muitos os benefícios além do campo. Vamos focar em fortalecer o projeto porque todo mundo se fortalece junto”.

Embaixadora da Taça das Favelas de Mato Grosso, Melissa Arruda, contou como o esporte mudou a vida dela e como a Taça das Favelas 2023 pode também afetar positivamente o futuro de muitos jovens.

“Eu sou ex-atleta de vôlei de quadra e de praia. Fui atleta de alto rendimento e também tive a oportunidade de representar a nossa cidade na Liga Nacional. Consegui aproveitar tudo de bom que o esporte pode trazer para a minha vida. Ele ajudou a construir o meu caráter, a minha educação. Espero que vocês possam e consigam aproveitar tudo de bom que o esporte pode trazer para vocês”, disse aos competidores.

O esporte também fez toda diferença na trajetória vitoriosa do secretário-adjunto de Esportes e Lazer, David Moura. Ex-judoca da seleção brasileira, foi medalha de ouro nos Jogos Pan Americanos em 2015 e destacou a importância do esporte em sua trajetória.

David contou que aceitou o desafio de assumir a secretaria-adjunta de Esportes para fazer a diferença e que projetos como a Taça das Favelas têm apoio do governador Mauro Mendes, da primeira-dama Virginia Mendes e do secretário Jefferson.

“Podem contar conosco para continuar a impactar a sociedade de forma positiva, como vocês estão fazendo. Esse projeto é maravilhoso. Ano passado eu falei isso e hoje é a prova de tudo que falei foi verdade. Nós temos a liberdade de apoiar projetos como esse, e pode contar com o Governo do Estado de Mato Grosso para que esse projeto não só permaneça, mais continue impactando a vida desses jovens. O esporte transforma vidas e a gente precisa dar a oportunidade para que esses jovens possam treinar e representar nosso Mato Grosso lá fora”.

Assessor técnico da prefeitura de Várzea Grande, Carlos Henrique, foi a cerimônia representando o prefeito Kalil Baracat agradeceu ao presidente da Cufa/MT pela oportunidade de participar da edição 2023 da Taça das Favelas.

“A gente sabe da importância desse evento esportivo, não só interação, mas como a colega aqui falou, são oportunidades. Têm muitas crianças que a gente sabe que muitas vezes não saem dentro da própria cidade, e aqui vem aquela oportunidade também de ver outras realidades, outros locais. Parabéns Anderson por sua força e dedicação, de estar sempre em cima, sempre correndo atrás do melhor, que é para essa criançada toda, para esse pessoal todo que está aqui, que são apaixonados por esportes. A gente sabe que o esporte transforma e vai fazer só bem a dedicação deles”.

O representante da Assembleia Social e do Teatro Zulmira Canavarros, Rafael Taques, disse que a casa estava honrada em receber os competidores de um evento tão importante para o Estado.

“É uma alegria imensa recebê-los. Este teatro está de portas abertas para vocês sempre. Esse espaço aqui é para vocês, de vocês”.

Thiago Ferreira, da Vortion Comunicação, comentou que a parceria com a Cufa/MT começou na Expofavela e se estendeu para esta edição da Taça das Favelas. Ele ainda parabenizou pelo trabalho de associar o esporte a uma oportunidade de mudança de vida.

“Quero parabenizar a iniciativa de trazer a abertura para esse espaço, porque a população, em geral, precisa estar mais habituada a esse tipo de espaço. Quando a gente traz uma comunidade para um teatro desse tamanho e dessa magnitude, a gente começa a ocupar espaços que são, na maioria do tempo, negados às populações mais carentes. Espero que todos aproveitem bem a taça, é uma oportunidade muito grande. O trabalho que a Cufa faz é excepcional no Brasil inteiro”.

Já Milena Francisca Vilar, coordenadora de comunicação do 360 News, disse que acredita no poder transformador da Taça das Favelas e uma oportunidade para quem deseja sair da periferia, por isso, recomendou que os participantes abracem o projeto porque vale à pena.

“A gente que conhece o Anderson e a Débora nos bastidores, a gente sabe o quanto isso é difícil e o quanto é importante para a gente estar com esse teatro cheio de pessoas para participar desse campeonato. A gente acredita que vai ser um sucesso e que teremos seleções muito fortes para representar o nosso estado no nacional”.

Etapas das competições – Anderson Zanovello explicou que a Taça das Favelas não é uma competição de times, mas de seleções eleitas pelas peneiras realizadas nas favelas pela liderança. Quando os jogos partem para a fase estadual não vai apenas os atletas da seleção campeã, mas aqueles que se destacaram nas partidas podem também participar da peneira estadual.

“Depois disso é que nós vamos montar a seleção do estado de Mato Grosso. Então, se de repente a favela perder na primeira rodada, ela ainda pode ter atleta aí nos representando na etapa nacional de São Paulo.

Neste ano, a fase nacional será de 07 a 17 de dezembro, em São Paulo (SP).

Em 2022, a seleção de Mato Grosso não conseguiu se classificar, contudo, neste ano Anderson diz estar confiante, pois as próprias favelas também já estão mais preparadas, por isso o desempenho na fase nacional tende a ser melhor.

“Tivemos entre 311 favelas inscritas, nas peneiras que aconteceram no último fim de semana e teve a participação de 1.560 atletas em todas as 24 peneiras. Em todo o campeonato, nós realizamos em uma estrutura muito bacana, onde os atletas já têm a oportunidade de jogar no campeonato como se fosse uma competição profissional. Nós sempre buscamos parceria com os clubes e na etapa nacional, por exemplo, todos os clubes do país estão ali observando. Nós tivemos atletas contratados no ano passado, um deles estava aqui ao meu lado agora, e já assinou contrato com o clube do Sergipe. As oportunidades do atleta realizar o sonho de ser um jogador profissional são muito maiores”.

Realização – A Taça das Favelas é uma realização da Cufa-MT, Secretaria de Estado de Cultura e Lazer (Secel/MT) e Associação de Desenvolvimento Social das Favelas e conta com apoio da Tubarão Sports, Água Mineral Lebrinha, Lide Mato Grosso, Prefeitura de Várzea Grande, Vórtion Comunicações. O evento tem a parceria com Assembleia Social, o Teatro Zulmira Canavarros, BS Comunicação, Em Cena Escola de Artes, 9 Atos, além da promoção da TV Centro América.

A Cufa é uma organização brasileira reconhecida internacionalmente nos âmbitos político, social, esportivo e cultural. Existe há 20 anos. Foi criada a partir da união entre jovens de várias favelas, principalmente negros, que buscavam espaços para expressarem suas atitudes, questionamentos ou simplesmente a sua vontade de viver.

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *