Mendes sinaliza que entrará na Justiça para garantir o retorno das aulas mesmo sem vacinação de servidores

O governador Mauro Mendes (DEM) declarou que deve judicializar a derrubada do veto do Projeto de Lei nº 21/202, aprovada pela Assembleia Legislativa, que garante o retorno das aulas presenciais somente após a imunização completa dos servidores da Educação.

A fala ocorreu durante inauguração da nova sede do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), na última quarta-feira (8).

Anteriormente, o governador havia dito que não iria discutir a questão judicialmente e voltou a fazer duras críticas aos deputados estaduais.

“Eu havia dito que não irá recorrer dessa decisão, mas estamos estudando o caso para ver o que pode ser efetivamente feito porque eu não consigo ficar tomando decisão sem a mínima coerência. Às vezes, momentaneamente, a gente fica um pouco chateado porque você gasta muita energia para ficar desfazendo essas lambanças”, disse.

Mendes afirmou que saiu uma resolução do Conselho Nacional de Educação dizendo que se deve voltar às aulas, visto que alguns municípios já retornaram e outros estão programando a volta. “As escolas privadas estão todas funcionando. Até falei que deve ter filho de deputado ou neto que está estudando presencial nessas unidades. Então, qual é essa lógica? Será que algum deputado consegue me explicar?”, questiona.

“A questão dos professores, repito, aqui no Indea, por exemplo, está todo mundo trabalhando e atendendo ao público também (…) Qual a diferença? São cidadãos, pessoas como outras qualquer. Qual a lógica da Assembleia para dizer não, que os professores só podem voltar a trabalhar quando tiver tomado às duas doses. Tem que parar com isso, de ficar tomando medida e jogando para a galera. Precisa ter mais seriedade na política. Precisamos de gente mais séria”, completou.

Matheus