PK explica apelido, avalia atuações do Cuiabá e projeta duelo com Atlético-MG: “Precisamos pontuar”

Após três jogos disputados, com direito a suspensão, o lateral-esquerdo Patric Calmon concedeu a primeira entrevista coletiva no Cuiabá. Conhecido como PK, ele explicou o motivo do apelido, avalizou o desempenho defensivo do Dourado e destacou a importância de somar pontos na próxima rodada da Série A, contra o Atlético-MG.

Patric estreou pelo Cuiabá já no Brasileirão, em sua primeira oportunidade de jogar na elite do futebol nacional. O jogador de 28 anos descreveu as primeiras impressões da competição.

– A maior diferença entre os campeonatos é o nível de concentração. É claro que todas as competições exigem essa concentração, mas a Série A é um nível mais elevado. Se você piscar o olho, o adversário consegue te nocautear e nos prejudicar.

Natural de Madre de Deus, na Bahia, ele contou porque é chamado de PK no futebol. Em 2017, passou pelo Audax Rio, do Rio de Janeiro, quando passou a ser conhecido pelo apelido.

– Meu nome não tem “K”, mas no Rio de Janeiro eles costumam chamar Patric de PK. Aí foi no Rio de Janeiro que surgiu esse apelido. E desde então nunca mais me chamaram de Patric, era sempre, dentro do futebol, PK. Pegou muito isso e até hoje ficou.

Titular nas três primeiras partidas da Série A, PK avaliou o desempenho defensivo da equipe. Até aqui, o Dourado sofreu gols em todas as rodadas, campanha que resulta no sexto time mais vazado do campeonato.

– Eu acho que a gente não pode pegar um setor e crucificar. Quando perde, perde todo mundo. Eu acho que quando ganha, ganha todo mundo. Como foi agora e também como foi nas derrotas que tivemos. Eu acho que é ruim falar dessa forma, que um setor tal é culpado porque deixou de fazer algo. É uma forma pejorativa de analisar. Eu acho que é com trabalho, e a gente vem fazendo isso. Ninguém quer sofrer gols, estamos aqui para trabalhar e construir nossos gols, e é o que temos feito.

Desfalque na última rodada por suspensão, o lateral-esquerdo volta a ficar à disposição do técnico Ivo Vieira. Com o time na 13ª colocação, ele ressaltou a necessidade de seguir pontuando para abrir distância do Z-4, especialmente diante de uma equipe que tem a mesma pontuação.

 A Série A é um campeonato que não dá pra respirar. Não tem jogo fácil, é sempre um jogo mais complicado do que o outro. E quando se trata de confronto direto, é jogo de seis pontos. Então amanhã a gente não pode de maneira nenhuma, assim como foi o pensamento de outros jogos, entrar para que a gente não pontue. Nós precisamos pontuar amanhã, para que a gente a cada dia venha a deixar a zona de rebaixamento, se distanciar e buscar estar no topo da tabela.

O Cuiabá recebe o Atlético-MG nesta quarta-feira, às 19h (de MT), na Arena Pantanal, pela quinta rodada do Brasileirão. Os ingressos podem ser adquiridos a partir de R$ 10.

Fonte: gê

Matheus