Surfe: WSL decide levar Maui Pro para Pipeline

A WSL (Liga Mundial de Surfe) anunciou nesta quinta-feira (17) que mudará o local de realização do Maui Pro, primeira etapa do Circuito Mundial de Surfe feminino, após um ataque de tubarão na última semana em Honolua Bay (Havaí), sede inicial da competição.imagem17-12-2020-23-12-20imagem17-12-2020-23-12-21

Agora, a competição continuará a ser realizada em Pipeline, na ilha de Oahu (Havaí).

“O restante do Maui Pro […] foi aprovado para ser concluído em Pipeline [a primeira vez que uma competição feminina de CT será realizada no local]. Temos apoiado o recém-aprovado projeto 10 e estamos ansiosos para ser uma parte de trazer maior igualdade de gênero para o surfe no Havaí”, disse em comunicado o diretor-executivo da WSL, Erik Logan.

“Estou muito grata pela oportunidade das mulheres surfarem aqui em Pipe, em um dia normal é muito complicado e intimidante conseguir uma onda aqui, então olhar para a programação com apenas outra garota é muito especial”, declarou a atual campeã mundial Carissa Moore.

Brasileira na disputa

O Maui Pro será reiniciado com a disputa entre a brasileira Tatiana Weston-Webb e a norte-americana Sage Erickson pelas quartas de final da competição.

Competição masculina

Também nesta quinta, reiniciaram as disputas no Billabong Pipe Masters, primeira etapa do circuito mundial de surfe masculino. A competição havia sido interrompida na última sexta-feira (11) após funcionários da WSL, entre eles o diretor-executivo Erik Logan, testarem positivo para o novo coronavírus (covid-19).

The WSL is pleased to announce that we are ending our suspension of the @billabong1973 Pipe Masters pres. by @Hydroflask and we’ll look to run competition over the coming days with a promising forecast. Next call: 7 am HST (9 am PT, 5 pm GMT) pic.twitter.com/R7SKB5h3f1

— World Surf League (@wsl) December 17, 2020

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2020-12/surfe-apos-ataque-de-tubarao-wsl-decide-mudar-maui-pro-para-pipeline

Matheus