Vice-governador critica aumento de impostos no país e diz que há dificuldade de retorno para os estados

Vice-governador critica aumento de impostos no país e diz que há dificuldade de retorno para os estados

Otaviano Pivetta defende os impostos deveriam ser arrecadados pelos estados e não pelo governo federal [Foto – Marcos Vergueiro]

Conteúdo/ODOC – Governador em exercício, Otaviano Pivetta (Republicanos) declarou ser contrário a novos impostos federais, ressaltando a dificuldade de que esses recursos retornem aos estados como investimentos. Esse argumento foi feito à imprensa ao ser questionado sobre a aprovação pelo Congresso Nacional do projeto do governo Lula que recriou o Seguro Obrigatório para Proteção de Vítimas de Acidentes de Trânsito (SPVAT),

O SPVAT é a proposta do Governo Federal para ressuscitar o modelo do DPVAT, extinto durante a administração do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). A justificativa para esse novo imposto, que incidirá sobre motoristas e motociclistas, é ajudar a custear as vítimas de acidentes de trânsito que não têm condições de pagar um seguro privado. “Eu sou contrário à toda e qualquer interferência do governo federal no bolso do povo brasileiro. Então qualquer imposto que vá para Brasília, eu sou contrário”, declarou Pivetta.

O republicano acrescentou que acredita que os impostos deveriam ser arrecadados pelos estados, e não pelo governo central, devido à falta de retorno desses valores.

Conforme noticiado pelo Portal O Documento, na bancada de Mato Grosso no Senado, apenas Jayme Campos (União) votou a favor do projeto. Por coincidência, a proposta obteve exatamente os 41 votos necessários para sua aprovação. “Eu sou a favor de que todo o dinheiro de contribuição, de imposto, deve ficar o mais perto do povo possível. E eu sou contra qualquer aumento que vá para o governo central, porque depois para vir de volta, meu amigo, é uma dificuldade”, afirmou.

Para entrar em vigor, a proposta ainda aguarda a sanção presidencial, que deve ocorrer nos próximos dias.

Matheus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *