Justiça coloca em liberdade enfermeiro que estuprou grávida

Enfermeiro preso por estuprar uma paciente grávida dentro do Hospital Geral (HG), na madrugada de quarta-feira (13), em Cuiabá, foi solto durante audiência de custódia, no final da tarde do mesmo dia, com uso de tornozeleira eletrônica por 6 meses.

A decisão foi da juíza Suzana Guimarães Ribeiro, que explicou nos autos que entendeu que a conduta do enfermeiro, em tese, se mostrou reprovável.“todavia entendo que não é o caso de manter a prisão neste momento, até que se apure por completo os fatos narrados nos autos”.

Por isso, a magistrada entendeu que em liberdade, não colocará em risco a investigação, colheita de provas e não se furtará à aplicação da lei. “Entretanto, os fatos narrados nos autos justificaram a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão”.

Foi determinada a instalação que tornozeleira eletrônica por 6 meses; não pode se ausentar da cidade; deve comparecer em todos os atos do processo; não pode mudar de endereço sem autorização e aviso do juízo.

HG vai ser notificado

Juíza decidiu ainda que oficializar, com urgência, o Hospital Geral, para tomar as providências quanto ao profissional, pedindo o afastamento de suas funções pelo prazo de 90 dias até a conclusão do inquérito policial. Determinou ainda a instauração de um processo administrativo.

Em nota divulgada na quarta, o HG informou que o enfermeiro será desligado do quadro de funcionários. De acordo com as informações apuradas pelo ,o crime foi registrado por volta das 2h.

Polícia Militar foi acionada para a ocorrência, onde a vítima contou que estava recebendo atendimento médico na unidade, já que tem uma gravidez de risco.

Ela estava recebendo atendimento de uma enfermeira do sexo feminino, que aplicou uma medicação, e logo em seguida deixou o local. O suspeito entrou minutos depois, quando ela já estava sozinha no quarto. Verificou o medicamento e em seguida, retirou sua roupa de baixo.

Depois, começou a pegar na barriga dela e na virilha. Depois, apalpou os seios da vítima. Ela pedia para ele parar com a ação, mas o suspeito se negava e continuava com o abuso. Vítima não tinha forças para reagir, já que estava medicada.

O abuso parou quando a recepcionista entrou no quarto por alguns minutos. Mas, assim que ela saiu ele continuou e ainda questionava se ela estava gostando da situação. Momento em que ela afirmou que o marido estava chegando e o suspeito saiu do local.

Vítima retirou a medicação que estava tomando na veia, pediu ajuda para uma testemunha e acionou a Polícia Militar. O enfermeiro foi preso em flagrante e encaminhado para a Delegacia da Mulher. Os responsáveis pela administração do hospital foram procurados pela vítima e pelo marido, mas eles não foram encontrados durante a madrugada.

Foi descoberto na delegacia que o suspeito já teria sido alvo de outra denúncia com o mesmo teor. Segundo a polícia, em 2021, ele teria abusado sexualmente de uma colega de trabalho enquanto ela dormia no repouso do plantão em outro hospital

Matheus