Musical que aborda o Daime artisticamente completa um ano

O primeiro espetáculo musical que aborda o ‘Daime’ artisticamente completou um ano de lançamento no último domingo (25.12). Contemplado no edital MT Nascentes da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), o projeto musical ‘O Poder da Floresta’ pode ser conferido em Mensageiro das Estrelas, canal no YouTube da Igreja Mestre Irineu (IMI).

Além de um musical, outros dois produtos multimídia integram o projeto: o documentário-musical “O Poder da Floresta” e o CD do Hinário ‘Mensageiros das Estrelas’. As faixas sonoras e a oração que compõem o hinário e a coletânea cantada no musical também podem ser ouvidas no Canal do Spotify do padrinho Egon Nord.

De acordo o multiartista e coordenador da Comissão de Comunicação, Arte e Cultura da IMI, Luiz Pita, o projeto multimidía foi inspirado na ligação entre a musicalidade e o entendimento da floresta como sagrada, um princípio fundante da compreensão Daimista.  

“Trabalhar o universo Daimista artisticamente refletiu de forma positiva com que o trabalho tem chegado ao público. Com cenas ludicamente construídas para contar e cantar histórias e hinos, além dos ritos da igreja, o projeto foi realizado de forma poética e idealizada”, destaca Pita, que também responde pela concepção e criação artística do projeto.

O musical contou com a participação de integrantes do Coro Experimental MT e teve o Maestro Jefferson Neves como arranjador do projeto. Para Jefferson, ‘O Poder da Floresta’ marcou a história pelo o ineditismo na cena teatral. 

“Do ponto de vista artístico foi o que mais me atraiu neste projeto. O desafio foi a parte mais atraente e casou perfeitamente com a proposta do Coro Experimental MT, que tem um forte propósito de sempre produzir algo diferente e desafiador, caso deste musical”, relata.

O maestro e arranjador destaca ainda que outro desafio do projeto foi trabalhar com uma equipe múltipla em período de isolamento social por causa da pandemia.

“A partir do momento que abraçamos a ideia, de um tema que remetesse à floresta, tudo fez mais sentido. Na produção dos arranjos, fui atrás de sonoridades que remetessem aos elementos da natureza. O grande desafio musical, na verdade foi criar arranjos que dessem uma sonoridade única e que ao mesmo tempo fosse fiel às mensagens e às melodias de cada canção”, comenta.

Com sua voz marcante e experiência na música e canto, a cantora Vera Capilé foi um dos destaques do projeto musical, dando vida e suavidade à execução sonora. A ligação espiritual com os elementos da natureza e a reverência à floresta foram os pontos que encantaram a artista, bem como a musicalidade da cultura daimista.

“É tudo muito melódico e cadenciado. Uma música que realmente eleva. Eu vi a arte e esse lado lúdico da fé. Não conhecia essa musicalidade. Sempre os hinos religiosos me tocam e esses do Daime me tocaram muito mais, porque são alegres, expansivos e simpáticos”, expressa a cantora.

Quase 100 anos depois de sua criação como doutrina religiosa, que ocorreu no Acre no início do século XX, por Raimundo Irineu Serra, o Mestre Irineu; a Linha Espiritual e filosófica do “Daime” ainda é pouco conhecida do público em geral, embora reúna membros e Igrejas em todos os estados brasileiros e diversos países. 

Um desses templos, a Igreja Mestre Irineu (IMI), foi fundada, em 1990, pelo Padrinho Renato Nord. Atualmente localizada em Várzea Grande, a Casa vem desenvolvendo um intenso trabalho de registro e divulgação da memória e ideais Daimistas implantados por Irineu, que se resumem a três pilares: o modo de fazer o Daime, durante o ritual do Feitio, que possibilita o armazenamento por anos; a utilização da bebida durante as sessões; e cantar os hinos e hinários. 

Segundo Luiz Pita, o musical documentário é um pequeno almanaque sobre o Daime e seus rituais. “Os hinos, a vestimenta, o cultivo das plantas, a musicalidade, os rituais, a irmandade e suas relações, todos esses elementos são materiais de estudo que podem ser abordados culturalmente ou artisticamente. Nesse projeto, o público encontrará um pouco de tudo sobre esse universo. Temos relatos riquíssimos que irão auxiliar o espectador a mergulhar na doutrina e tirar suas próprias conclusões”, conclui.

Equipe

Os produtos contaram com o auxílio de muitos profissionais, incluindo membros da Igreja Mestre Irineu, que participaram do espetáculo musical e da captação do material, além de depoimentos que estão no documentário, auxiliando a trazer a sensibilidade à produção multimídia. 

A produção, direção geral e roteiro é de Luiz Pita e a coordenação geral esteve a cargo de Stéphano Cândido. A Direção Cênica e de Dramaturgia foi feita por Katiuska Azambuja e a direção de fotografia, realizada pela cineasta Jade Rainho. 

Além dos cantores do Coro Experimental MT, o musical contou com a participação especial de cantores e músicos da Igreja Mestre Irineu. 

Da Redação

Matheus