Seja bem vindo ao nosso portal de notícias.

22/02/2024 6:07 am

Procurado por tentativa de explosão em Brasília se entrega à polícia em MT

O investigado por suspeita de ato terrorista em Brasília (DF), Alan Diego dos Santos Rodrigues, de 32 anos, se entregou na tarde desta terça-feira (17.01), na Delegacia da Polícia Civil de Comodoro, na região oeste de Mato Grosso.

A Polícia Civil de Mato Grosso cumpriu mandados de buscas, decretados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para apurar informações que pudessem levar à localização do procurado.

As equipes das Delegacias de Vila Bela da Santíssima Trindade e de Comodoro também fizeram contato com pessoas próximas ao suspeito e, após as tratativas, nesta terça-feira (17) Alan Diego se apresentou aos delegados Ricardo Sarto e Eduardo Ribeiro, na Delegacia de Comodoro, onde foi cumprido o mandado de prisão preventiva.

O morador de Comodoro foi investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal por envolvimento na tentativa de explosão de uma bomba no Aeroporto Internacional de Brasília, em 24 de dezembro de 2022. Na semana passada, Alan Diego se tornou réu após o juízo da 8ª Vara Criminal do Distrito Federal acatar a denúncia contra ele e mais dois investigados pelo crime.

Após a formalização do mandado de prisão na Delegacia de Comodoro, o suspeito será encaminhado a uma unidade prisional, onde aguardará manifestação da Justiça.

fonte:pnbonline.com.br

Veja também

NACIONAL

Durante reunião com ministro das Comunicações, presidente Lula sanciona PL que regulamenta o serviço de radiodifusão

NACIONAL

Cerca de mil brasileiros em Israel e Palestina pediram volta ao Brasil

NACIONAL

Lula participa de congresso da UNE e promete mais universidades

BRASIL| ESPORTES| GERAL| MATO GROSSO| Mato-grossense| NACIONAL

Ito Roque é nome provável pra assumir o Mixto Esporte Clube na Copa FMF

ECONOMIA| MATO GROSSO| MUNDO| NACIONAL

Produção industrial de Mato Grosso cresce 9% em um ano e apresenta melhor resultado no país

NACIONAL

Câmara pode votar nesta quarta-feira punição para quem discriminar profissionais de limpeza pública