Seja bem vindo ao nosso portal de notícias.

29/02/2024 10:55 am

Médica que atropelou verdureiro em Cuiabá será levada a júri popular

A médica Letícia Bortolini, acusada de atropelar e matar o verdureiro Francisco Lúcio Maia, de 48 anos, será levada a júri popular. A decisão foi proferida nesta segunda-feira (8), pelo juiz Flávio Miraglia Fernandes, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, e acata um pedido feito pelo Ministério Público de Mato Grosso.

A ré responderá por homicídio qualificado pelo meio de que possa resultar perigo comum, além de omissão de socorro, se afastar do local do sinistro para fugir à responsabilidade e conduzir embriagada.

O promotor de Justiça Vinicius Gahyva Martins explica que a qualificadora emprego de meio de que possa resultar perigo comum é aquela que expõe, além da vítima, um número indeterminado de pessoas a uma situação de provável dano.

Para ele, a testemunha ocular Bruno Duarte Pereira de Lins, que presenciou os fatos porque ajudava Francisco a empurrar o carrinho, poderia ter sido também vítima do atropelamento.

O crime

Conforme o processo judicial, o crime aconteceu em 14 de abril de 2018, na avenida Miguel Sutil, no bairro Cidade Verde. Letícia estava acompanhada do marido e tinha acabado de sair de um festival de churrasco.

De acordo com a denúncia da Promotoria, a médica havia consumido bebida alcoólica no evento, antes de dirigir, fato este negado pela condutora.

No caminho de volta para casa, a motorista atropelou Francisco que estava atravessando a via, com seu carrinho de verduras. A vítima não resistiu e faleceu no local.

Após o atropelamento, Letícia seguiu em direção ao condomínio fechado onde reside, alegando que achava que havia batido em uma placa. Em sua versão, quando estava em casa foi comunicada do acidente.

“[…] havendo elementos para a pronúncia daqueles que estão sendo acusados da prática de crime doloso contra a vida, os autos serão levados ao julgamento pelo Tribunal do Júri e lá serão analisadas as provas em relação aos outros crimes conexos a este”, justifica o juiz.

Fernandes pontua ainda que após analisar os elementos de informação e provas apresentadas durante o processo, existem indícios suficientes contra Letícia, por isso a médica deve ser pronunciada, ou seja, submetida ao Tribunal.

“Assim, analisando as provas produzidas entendo que restou suficientemente demonstrada a autoria da ré e a somatória das circunstâncias ambientais envolvidas, reprisese, a acusada estava com a capacidade psicomotora alterada ainda assim assumiu direção do veículo dirigindo-o em velocidade muito superior à permitida, assumiu o risco de produzir resultado lesivo previsível, atuando com indiferença diante de tal possibilidade e também não parou para prestar socorro à vítima, logo atraiu o dolo eventual em tese, o que consequentemente afugenta de imediato a desclassificação, devendo ser submetida a julgamento pelo Tribunal do Júri”, reforça.

Veja também

CIDADES| MATO GROSSO

Itanhangá: Municipio entra em alerta amarelo, com ventos intensos de 40 a 60km/h

CIDADES

Nota de Falecimento de Nandes Congueiro

CIDADES| GERAL

Conselheiras tutelar do Vale do São Domingos se reuniu na sede CT e contou com a presença do presidente da ACT/MT e SINCONT/MT.

CIDADES| VÁRZEA GRANDE MT

EM VÁRZEA GRANDE: MINISTÉRIO DA SAÚDE E GOVERNO DO ESTADO VISITAM LOCAL DA OBRA DO NOVO CENTRO DE REABILITAÇÃO

CIDADES| VÁRZEA GRANDE MT

EM UM NOVO MOMENTO CASA DE SARITA: TRANSFORMANDO VIDAS E SE TORNANDO REFERÊNCIA ESTADUAL EM ATENDIMENTO

CIDADES| VÁRZEA GRANDE MT

VÁRZEA GRANDE ABRE PROCESSO DE SELEÇÃO PARA 1.000 RESIDÊNCIAS