Mendes diz que não irá ceder à pressão de policiais penais

A ameaça de greve dos policiais penais de Mato Grosso fez o governador Mauro Mendes (DEM) cancelar um evento marcado para a última sexta-feira (10), que teria a presença de políticos nacionais. Porém, o gestor já adiantou que não irá ceder a esse tipo de pressão, contudo, tem uma reunião foi marcada com a categoria na terça-feira (14).

 

Os policiais penais reivindicam aumento salarial. A proposta apresentada pelo sindicato foi rejeitada pelo governo. Com a negativa, eles decidiram pela greve, com início previsto para esta segunda-feira (13). Mas a paralisação foi suspensa após a convocação de uma nova reunião entre o sindicato e a Casa Civil.

Por causa da tensão do anúncio da greve, Mendes cancelou a inauguração das novas alas da Penitenciária Central do Estado (PCE). “Nós tínhamos autoridades nacionais que viriam aqui e tivemos que cancelar para não expor o Estado de Mato Grosso àquela situação de constrangimento”.

 

Esse tipo de atitude, segundo o governador, é “muito ruim” e não é assim que se negocia. “Não é com esse tipo de pressão que iremos ceder e eu já demonstrei isso em outras oportunidades”.

 

Apesar de adiantar que não cederá, Mauro diz que vai “dialogar” sobre o pedido da categoria. “O governo tem muita dificuldade em aceitar esse tipo de pressão para fazer negociação. Nós sempre tivemos as portas abertas e a gente esta aprofundando nesse tema para conhecer e compreender melhor. Vamos dialogar, não tem problema fazer o diálogo”.

Fonte: Gazeta Digital

Matheus